Blog

Educação financeira para bolsistas.

No dia 10/08/2017, apresentei uma palestra sobre educação financeira, a convite da Profa. Aurelia Acuña, no evento “Boas vindas aos participantes do PROBEX 2017”, ocorrido no CT/UFPB. Após a palestra, dei uma entrevista ao Ítalo Ramon, estudante de jornalismo. A seguir, reproduzo o que está no site da UFPB (Fonte: Agência de Notícias da UFPB - Com Assessoria). A educação financeira deve iniciar desde cedo, com os pais ajudando o desenvolver do jovem em casa ou deve-se esperar o primeiro salário para que comece esse processo? Se um adolescente que recebe o primeiro salário ou a primeira bolsa e gasta tudo, a culpa não é dele; a culpa é dos pais dele e da nossa sociedade que não tem o hábito de dar educação financeira. O jovem gasta tudo que ganha porque viu nos pais a mesma ação: a de pessoas que gastam tudo sem controle, sem planejamento, sem responsabilidade. ...

continuar lendo

6 dicas essenciais para o bem estar da sua empresa.

Mantenha um estoque correto Manter o giro de mercadorias e de insumos é essencial para que as finanças de uma empresa permaneçam sobre controle. Afinal, estoque muito alto é sinal de dinheiro parado. Por outro lado, estoque insuficiente é prejudicial para o andamento do negócio. Portanto, busque armazenar os itens no volume correto para o fluxo da sua empresa. Fuja dos empréstimos Recorrer a empréstimos é a pior forma de lidar com folha de pagamento, tributos e reposição de estoque. Afinal, os juros corroem os lucros da empresa. Portanto, busque manter um planejamento que permita que a empresa arque com as próprias despesas, contando apenas com as receitas que ela gera. Separe a pessoa física da pessoa jurídica Um dos mais graves erros que o empresário pode cometer é confundir o caixa da pessoa física com o caixa da pessoa jurídica. Com isso, fica praticamente impossível analisar os resultados financeiros ...

continuar lendo

Mais dois controles importantes para o financeiro.

No último post, apresentamos 5 controles financeiros indispensáveis para a gestão de curto prazo da empresa. Clique aqui para ler. Nesse post agora, vamos apresentar mais dois controles, que não são especificamente do financeiro, mas que, como quase tudo dentro da empresa, tem impacto no e sofre impacto do financeiro. Controle diário de vendas Sua principal finalidade é acompanhar as vendas diárias e o total das vendas acumuladas durante o mês, possibilitando ao empresário tomar providências diárias para que as metas sejam alcançadas. Pode ser organizado para fornecer as seguintes informações: - Controlar o total das vendas diárias e os respectivos prazos de recebimentos: à vista, com 7, 14, 21, 28, 30, 45, 60 dias etc.; - Totalizar as vendas mensais pelos prazos de recebimentos; - Fornecer dados para conferência de caixa (para certificar se os valores das vendas à vista foram registrados no caixa); - Controlar os registros dos ...

continuar lendo

Saiba mais sobre os controles financeiros básicos.

No último post, tratamos da relação entre controle financeiro e gestão do capital de giro. Nesse post e no próximo, vamos falar dos controles financeiros, começando pelos cinco que julgamos mais básicos: controle diário de caixa, controle bancário, controle de contas a receber, controle de contas a pagar e controle mensal das despesas. Esses controles PRECISAM ser feitos e PODEM ser implantados, sem dificuldades, desde já. No post seguinte, abordaremos os controles de vendas e de estoque. Vamos lá! Controle diário de caixa Controle feito a partir do registro de todas as entradas e saídas de dinheiro, para apurar e controlar o saldo existente no caixa e elaborar o deonstrativo de fluxo de caixa. A principal finalidade do controle de caixa é verificar se não existem erros de registros ou desvios de recursos. O caixa é conferido diariamente e as diferenças porventura existentes têm de ser apuradas no mesmo dia. ...

continuar lendo

Controles financeiros e gestão do capital de giro.

O controle financeiro da empresa é fundamental para que ela se mantenha competitiva no mercado e garanta o equilíbrio de seu caixa. Isso evitará surpresas e dificuldades de gestão e, até mesmo, a inviabilidade do negócio. Para chegar a este controle, são necessárias algumas medidas estratégicas, que reúnem o orçamento e as metas em um planejamento único. A seguir, comentamos duas ações básicas, mas de suma importância para gerir o negócio. Tenha clareza sobre a situação da empresa Como em qualquer planejamento, o primeiro passo é tomar consciência sobre a atual situação financeira da empresa, o que pode ser obtido a partir da DFC, para obter um equacionamento entre as receitas e as despesas. Realize todo o levantamento, listando os processos e seus respectivos pontos sejam eles negativos ou positivos, a situação de mercado do próprio segmento, entre outras informações que permitirão que você visualize os recursos com os quais ...

continuar lendo

Comece a cortar gastos já!

Uma pesquisa do SPC Brasil e da CNDL revelou que 53% dos brasileiros pretendem cortar gastos em agosto. Por um lado, é uma notícia positiva, mas, por outro, é negativa. Vejamos... Ponto negativo 1: se 53% pretende cortar gastos, 47% não pretende. Espero que esse pessoal esteja com as contas no azul ou, pelo menos, no zero a zero! Ponto negativo 2: os motivos alegados para o corte nos gastos são a alta dos preços, o desemprego, a redução na renda, as dívidas e a situação difícil. Tanto que quase 38% das pessoas informaram estar no vermelho, sem terem conseguido pagar as contas em julho. Alento: muita gente também alegou os esforços constantes para economizar e a intenção de fazer uma reserva financeira como motivo para o corte nos gastos. Pergunta 1: será que o brasileiro está mais consciente em relação às finanças? Não está fácil para ninguém... A crise ...

continuar lendo

A ditadura do fluxo de caixa para empresas e pessoas.

Fluxo de caixa é um instrumento de controle adotado por empresas para acompanhar a sua movimentação financeira em um determinado período de tempo, no qual entradas e saídas de capital são registradas para verificação e análise. Se serve para as empresas, por que não utilizarmos nas finanças pessoais? Para a maior exatidão dos resultados, todas as receitas e despesas, por menor que sejam, devem ser lançadas, o que pode ser feito através do uso de planilhas ou em um sistema de gestão. A partir desse levantamento, que é uma ação básica e indispensável de gestão financeira, é possível contar com uma verdadeira base de dados, fornecendo ao empresário (e às pessoas) subsídios para a tomada de decisões no negócio (e na vida pessoal). Ao realizar o fluxo de caixa, adquire-se uma visão mais precisa sobre o momento financeiro da empresa. Isso significa, por exemplo, que aquela semana que parecia ótima ...

continuar lendo

21 dicas para você não jogar dinheiro fora!

Já ouviu aquela máxima “você não fica rico com o que ganha, você fica rico com o que economiza”? Pois é... É a mais pura verdade. Tenho muitos exemplos desse tipo. Clientes de alta renda, totalmente endividados e sem patrimônio por falta de controle dos gastos, e clientes de renda mediana com a vida financeira equilibrada, investindo e no caminho para alcançar seus objetivos. Não importa quanto você ganha. Para ficar rico, é preciso poupar, gastar menos do que ganha. Viver dentro de suas possibilidades e jamais viver (e financiar) um estilo de vida que não é o seu. Ok, mas como fazer sobrar? Para fazer sobrar, é preciso priorizar as despesas. Sempre digo isso aqui no blog. Para priorizar, o primeiro passo é anotar os gastos e organizar tudo em classes (tipos) de despesas (habitação, alimentação, saúde, lazer, transporte), para, em seguida, reclassificá-los em ordem de importância: 1. despesas ...

continuar lendo

Carregar mais