Blog

O mercado de seguros

As seguradoras. Uma seguradora de saúde, por exemplo, consiste em uma companhia encarregada da administração de um grande número de interesses da massa que compõe os segurados, que se beneficiam do oferecimento de uma variedade de produtos, a exemplo do seguro de vida. Àquelas companhias cabe a gestão de forma racional dos riscos, cujos limites são determinados pela Superintendência dos Seguros Privados (SUSEP). Para a cobertura dos eventuais sinistros, as seguradoras constituem um fundo de reserva técnica que assegura o pagamento dos valores devidos. Por essa razão, as companhias citadas são grandes investidores institucionais do mercado financeiro e, por conta disso, sujeitam-se às normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no que tange à aplicação de recursos. Instituições do Setor de Seguros. Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP). É o órgão incumbido da fixação das diretrizes e normas da política de seguros e resseguros por meio da regulação e fiscalização ...

continuar lendo

Seguro é investimento?

Essa foi uma das perguntas que fizeram ao final de uma das últimas palestras que ministrei. Minha resposta foi que não, seguro não é um investimento. O seguro faz parte de outra categoria de produtos financeiros, que visa à proteção do patrimônio e à manutenção/preservação do padrão de vida desde o momento da contratação. Você não contrata um seguro para manter seu padrão de vida ao se aposentar, nem para melhorar de padrão de vida no futuro. O seguro não vai fazer seu patrimônio líquido aumentar. Portanto, ele não é um investimento. O que ele faz, como já dissemos, é impedir que o padrão de vida diminua (por força de um acidente, um roubo, uma doença ou uma morte, por exemplo). Claro que você pode poupar ou investir para acumular uma reserva financeira suficiente para a manutenção do padrão de vida (seu e de sua família) no presente e a ...

continuar lendo

O papel do seguro no planejamento financeiro familiar

Os objetivos financeiros podem ser classificados em ordem de importância: manter padrão de vida no presente só é menos importante que a recuperação do padrão de vida, que significa recuperar o crédito e planejar o pagamento das dívidas. Manter padrão de vida no presente significa controlar o caixa mensal, gerenciar o crédito e proteger-se contra riscos de contingência. É neste último que se insere a contratação de seguros. Na entrevista que fizemos com o Marcílio Filho, da Marcílio Seguros, tratamos das estratégias e cuidados necessários para a contratação inteligente de seguros dentro do planejamento financeiro familiar. Para assistir ao vídeo da entrevista, basta clicar aqui. Até o próximo post. Rodrigo Leone

continuar lendo

Carregar mais