Não seja sócio minoritário nos seus investimentos!

Nas palestras que ministramos, gostamos de chamar atenção para alguns aspectos dos investimentos...

Primeiro que a seleção dos ativos que comporão sua carteira deve considerar seus objetivos, sua capacidade de poupança (renda menos gastos) e o tripé retorno, risco e liquidez.

Em seguida, é preciso diversificar, tanto para minimizar o risco, quanto para dividir a carteira em classes de acordo com as diferentes exigências de liquidez (por exemplo, é preciso ter ativos líquidos como reserva de emergência e ativos de longo prazo para sua aposentadoria – observe que essas alternativas trocam liquidez por retorno).

Finalmente, é preciso atentar para os custos ocultos (mas nem tanto) existentes nos investimentos mais conhecidos do grande público: impostos, spread bancário e inflação.

O gráfico a seguir apresenta a evolução da participação de cada um desses custos nos rendimentos de um investimento de R$100.000,00 ao longo de 10 anos e o que sobra para você. Atente para quanto dinheiro você está deixando na mesa.

Portanto, se você não quer mais ser o sócio minoritário do rendimento que é seu, é oportuno conhecer produtos de investimento mais sofisticados, que “desbancarizam” a operação e contam com isenção de imposto de renda.

E aí, é só entrar em contato.

Abraço,

Rodrigo Leone