Gestor Financeiro Pessoal

Coaching |

A ÚLTIMA solução: a proteção do Guardião


por GestorFP

Esse texto foi originalmente publicado no blog Riquezas da Vida. A GestorFP recomenda que você conheça esse blog e a fanpage da CRITERION no Facebook.

Chegamos ao último post dessa super série sobre obstáculos emocionais. Vimos vários conceitos e foi oferecido vários exercícios de tomada de consciência não só para sua vida financeira, para todos os aspectos dela! Falamos sobre 5 obstáculos emocionais que te impedem de conseguir resultados. Se ainda não conferiu seguem os links:

Seu primeiro obstáculo EMOCIONAL: Medos

Seu segundo obstáculo EMOCIONAL: o Guardião da Escassez

Seu terceiro obstáculo EMOCIONAL: Crenças de Luta

Seu quarto obstáculo EMOCIONAL: Histórias Pessoais

Seu quinto obstáculo EMOCIONAL: Metáforas Pessoais

Além disso, nos dois últimos posts falamos sobre como resolver quatro desses obstáculos:

Solucionando seus MEDOS para sempre! (Em que tratamos do Refoco Positivo, como técnica para solucionar seus medos)

UMA solução para TRÊS obstáculos (Apresentamos a técnica da Conversa Interna Dirigida que resolve as crenças de luta, as histórias pessoais e as metáforas pessoais)

O segundo obstáculo trazido à luz da consciência foi o Guardião. Entenda uma coisa: o Guardião sempre esteve ao seu lado; o Guardião quer o seu bem. O Guardião quer evitar que você sofra uma mudança brusca e perca coisas em sua vida porque a zona de conforto é ruim, mas é um ruim conhecido. “Eu ganho mal, mas se eu pedir demissão posso ficar sem emprego”: isso é um ruim conhecido. O Guardião quer te manter naquele ruim conhecido porque ele sabe que se você sair dali você pode sofrer mais. Você já sabe tudo o que a zona de conforto pode te dar.

Porém, surge uma pergunta: se o Guardião está do seu lado, porque ele te impede de sair dessa zona de conforto? Porque ele ainda não entendeu bem a questão.

Qual é a verdadeira intenção do Guardião?

Você já se convenceu de alguma coisa? Às vezes você conversou com alguma pessoa sobre determinado assunto, mas, de pronto, acabou discordando. Depois você foi para casa, conversou com você mesmo e acabou se convencendo daquele ponto de vista, podendo até admitir para a outra pessoa que ela estava certa.

Como que você consegue se convencer de uma coisa se você é um só? Porque você não é um só: você tem partes. Uma parte de você convenceu a outra e todo mundo chegou à conclusão junto. Então é isso que você vai fazer com o Guardião: convencê-lo a estar do seu lado.

Mas como?

Primeiro você deve entender que a intenção dele é positiva, é boa. A intenção dele é te proteger, é cuidar de você. Não é uma parte ruim de você. Não é nada espiritual, não é espírito opressor, demônio: é uma parte de você. Não é uma parte que tem função de morte; o Guardião é uma parte de você que quer protege-lo da zona de desafio, uma região desconhecida.

O que ele precisa saber é que existem outras maneiras de te proteger. O Guardião pode te proteger de outras formas. A intenção dele não é te prejudicar, não é fazer você ficar arrogante no meio de uma palestra (“eu já sei isso”), não é fazer você ter sono: a intenção dele é te proteger, há outras maneiras positivas te proteger.

Para você sair da zona de conforto, você precisa criar uma base segura na zona de conforto para que possa se aventurar na zona de desafio: e isso é aos poucos. Não acontece “na marra”, de uma vez só.

Em algumas área de sua vida você vai conseguir sair de uma vez só: da zona de conforto para a zona de desafio; porém em outras você vai saindo aos poucos, estruturando bem essa base de segurança. Seja qual for sua forma (rápida ou devagar), não se julgue porque não conseguiu provocar uma mudança de um mundo para o outro: você tem um ritmo de reação que é só seu. Não tem certo ou errado. Não há necessidade dessa cobrança; não há necessidade desse sofrimento. Você pode sair da zona de conforto trazendo o Guardião para o seu lado: de forma segura, tranquila.

Qual a intenção real do seu Guardião? Ele quer te matar, ele quer te fazer infeliz? Com certeza não: a intenção real dele é te proteger. Que outras formas o seu Guardião pode usar para te proteger? Que outras maneiras o seu Guardião pode atuar para te proteger que não seja te mantendo paralisado? Você já descobriu como ele atua, ele usa esse método que você descreveu anteriormente. Que outras coisas ele poderia fazer?

Existem muitas maneiras diferentes de atingir a mesma intenção. Uma coisa boa é relaxar. É uma coisa que precisamos fazer, concorda? Que maneiras existem para relaxar? Uma delas é fumar um cigarro: as pessoas que fumam falam que fumar espairece a cabeça, relaxa. Outra maneira de relaxar é comer um prato de massa: você come aquele pratão, enche seu corpo de opiáceos e se sente relaxado. Frequentar a academia todos os dias de manhã, sentir aquelas endorfinas pelo seu corpo também é uma forma de relaxar. Praticar ioga é outra forma de relaxar. Então existem muitas formas de relaxar. Muitas vezes você tem uma intenção inicial de relaxar e muitas vezes você fuma para ter essa sensação: porém você poderia relaxar frequentando uma academia ou praticar ioga ou corrida.

A intenção de seu Guardião é proteger. Será que só dá para proteger impedindo de você de caminhar? Será que só dá para proteger te distraindo, te levando à multitarefa ou fazendo você ter desdém? Será que só dá para relaxar fumando? Será que só dá para te proteger fazendo você sentir sono?

Quais outras maneiras seu Guardião pode te proteger? É isso que seu Guardião precisa entender porque ele vai continuar insistindo, vai continuar te protegendo. O que você não quer é que ele te proteja te paralisando.

Quando você traz o Guardião para seu lado você fica imbatível: uma parte que antes estava te atrapalhando agora estará te ajudando. 

Pegue cada uma forma de atuação do Guardião e estude qual a Intenção Positiva por trás desse comportamento. Do que seu guardião está querendo te proteger? Quais ouras formas seu Guardião pode atingir a mesma intenção positiva sem que ele te paralise, sem que provoque sono, desdém, uma emoção forte, te distraia? Descreva essas novas formas de agir e convença o seu Guardião que aquela forma é melhor que qualquer ação paralisante. E, principalmente, implante essas mudanças aos poucos: seu Guardião é conservador – para que ele não te boicote é necessário criar uma base segura na zona de conforto e expandi-la aos poucos: fazer com que a zona de desafio se torne conhecida.

***

Como fiz nos outros dois posts, vou relatar um dos pontos que identifiquei com relação ao meu Guardião. Quando fiz o exercício, algumas formas de atuação se apresentaram. Mostro uma, que pode ser bastante comum entre vocês, leitores:

– às distrações: ficar olhando o Facebook

INTENÇÃO POSITIVA: é tentar através da rede social compartilhar e ajudar as outras pessoas com meus conhecimentos e conselhos.

NOVA FORMA DE PROTEÇÃO e ATUAÇÃO: dar mais palestras e oficinas para suprir a mesma necessidade, além de ajudar as pessoas de forma personalizada trabalhando com coaching financeiro.

São as soluções simples que atendem a mesma necessidade do Guardião e você tem que descobrir a Intenção Positiva dele e convencê-lo (e treiná-lo) a adotar essa nova solução. Faça isso e descubra um novo mundo: um mundo além da zona de fronteira. Faça da sua zona de desafio a sua nova zona de conforto!

***

Então, fechamos com esse post toda série que mostra e trata os obstáculos emocionais. Espero que tenham gostado e principalmente feito os exercícios, pois, como diz o meu mentor: “conhecer a mente humana é algo muito bom, mas melhor ainda é poder mudar de vida!

Sucesso!

Phillip Souza

Sócio-diretor executivo da Criterion e autor do blog “Riquezas da Vida” que trata de diversos assuntos relacionados a comportamento financeiro, psicologia econômica, finanças pessoais e investimentos. Consultor associado da GestorFP em Belo Horizonte.

Congresso de Coaching Financeiro: participe!

O CONACOACHFI é o 1º Congresso Nacional de Coaching Financeiro realizado no Brasil. Serão mais de 30 palestras com as maiores referências do Coach Financeiro do país, compartilhando métodos, técnicas, […]