Gestor Financeiro Pessoal

Dívidas e créditos |

Os juros do cartão de crédito e seus estragos!


por GestorFP

Vejam bem os números na tabela a seguir. É uma simulação da evolução da sua dívida no cartão de crédito com os juros médios atuais de 403,50% ao ano (ou 14,42% ao mês). Vou até esperar uns minutinhos para continuar nosso papo.

Agora, deixe-me explicar: a simulação considera que, todo mês, você gaste R$1.000,00 em compras no seu cartão e só pague o valor mínimo de 15%, deixando o resto no rotativo.

O que acontece? No primeiro mês, mesmo tendo comprado R$1.000,00 no cartão, você só paga R$150,00 e deixa R$850,00 no saldo devedor. No mês seguinte, sua fatura será de R$1.000,00 (compras do segundo mês) + R$850,00 (saldo devedor do mês anterior) + R$122,57 (juros de 14,42% sobre o saldo devedor), o que totaliza R$1.972,57.

Continuando nessa passada, daqui a 24 meses, sua dívida após o pagamento do valor mínimo da fatura, será de R$15.091,75, e você já terá desembolsado R$36.663,84 ao longo dos 24 meses, dos quais R$27.905,59 terão sido só de pagamento de juros.

Dá para acreditar??

Assim sendo, o que fazer para se livrar do rotativo do cartão de crédito?

Primeiro, tenha em mente que a melhor maneira de sair dessa ciranda financeira é nunca entrar. Portanto, use esse crédito com responsabilidade, respeitando seu orçamento e comprando apenas o que for realmente necessário, após pesquisar preços.

Se você já está no rotativo, tente trocar essa dívida por uma dívida com juros menores: tente um empréstimo pessoal (consignado de preferência) e quite o saldo devedor do cartão. Antes, tente negociar esse saldo devedor, dizendo que pretende quitá-lo integralmente.

Se você não está no rotativo, estabeleça seu limite de gastos no cartão. Algo em torno de 50% da sua renda, entendendo que se trata apenas de um limite de crédito e não de um orçamento extra. Outra dica é ter no máximo dois cartões, nesse caso com 15 dias de intervalo entre seus vencimentos, para aproveitar o crédito “gratuito”.

Agora, se você é comprador compulsivo, se compra por impulso ou se não tem ciência do seu orçamento, sugiro não ter cartão de crédito.