Gestor Financeiro Pessoal

Educação financeira |

A importância do plano de negócios.


por GestorFP

Dentre os erros mais comuns dos micro e pequenos empreendedores está a falta de planejamento, inclusive para a decisão de abertura/implantação do negócio.

Antes de efetivamente abrir seu negócio, é preciso planejar. Para tanto, é preciso levantar uma série de informações que vão lhe ajudar, entre outros, a (1) decidir se vale a pena “encarar” esse desafio de empreender, (2) definir as necessidades operacionais, técnicas e financeiras e (3) antecipar possíveis problemas e potenciais oportunidades.

Vamos, então, conversar mais um pouquinho a respeito.

Pra que serve um plano de negócios?

1. Para conhecer seu mercado de atuação:

– Quem são seus clientes (público-alvo)? O que eles querem e como querem seu produto/serviço? Se não quiserem o que você tem a oferecer, o que eles querem e o que você pode fazer para suprir essa demanda?

– Quem são seus concorrentes? O que eles oferecem e como oferecem? Como atendem? Que descontos e que prazos dão?

– Quem são seus fornecedores? O que cada um tem? Quanto cobram? Que prazos de pagamento propõem? Que prazos de entrega conseguem cumprir?

– Quais são os riscos desse mercado? Será que esse mercado é muito dependente do dólar, do preço do combustível ou da oferta de crédito? Há sazonalidade? Será que as questões políticas influenciam seus consumidores?

Está gostando do texto? Clique aqui e faça seu cadastro para receber GRATUITAMENTE nossos conteúdos e atualizações!

2. Para lhe ajudar a planejar:

– Quanto pretende/consegue vender?

– O que e quanto você precisa comprar? Isso vai depender do tamanho da fatia de mercado que você vai querer “abocanhar”.

– Que profissionais você precisa contratar?

– Quanto vai custar? Por quanto você poderá vender seu produto/serviço?

– Vai valer a pena (financeiramente falando)?

Que informações compõem um plano de negócios?

– Quais os investimentos iniciais? Que máquinas e que equipamentos você deve adquirir? Quanto de cada? Quanto custam? Será preciso construir ou basta reformar um prédio alugado? Quanto precisarei de capital de giro para os primeiros meses de atividade? Que gastos ter e custos pré-operacionais.

– Qual a receita projetada? Essa informação você calcula a partir da demanda projetada e do preço e do prazo que praticará.

– Que custos e despesas terá? Essa informação envolve os gastos projetados com pessoal operacional, com vendas, com o administrativo e com os impostos.

Com essas informações, você poderá projetar os fluxos de caixa futuros e avaliar a atratividade financeira do seu projeto, antes de desembolsar qualquer recurso ou de se comprometer com qualquer fornecedor ou credor.

No site do SEBRAE, você consegue outras orientações para elaborar um plano de negócios, acessando inclusive um passo a passo para essa elaboração. Vale a pena navegar por lá.

Gostou do texto? Clique aqui e faça seu cadastro para receber GRATUITAMENTE nossos conteúdos e atualizações!

Obs.: A imagem que ilustra esse post é a capa de um documento gratuito que ensina a elaborar um plano de negócios. Você pode baixá-lo clicando aqui.