Gestor Financeiro Pessoal

Investimentos |

O Desafio da Poupança


por GestorFP

Você já deve ter encontrado pessoas que têm uma dificuldade tremenda em poupar dinheiro. Ter aquela pequena parcela do salário ou dos recebimentos reservada única e exclusivamente para crescer ao longo dos meses ou anos. Algumas pesquisas foram realizadas no ano passado, em 2015, e mostraram que cerca de 62% dos estadunidenses com idade entre 50 e 70 anos -chamados de Baby Boomers, nascidos entre 1946 e 1964 aproximadamente- não têm 1.000 dólares guardados, e cerca de 21% dessas pessoas não têm nem reservas (ou como eles chamam “savings”). É uma informação extremamente alarmante e assustadora. Pensa só: você já não é um jovenzinho de 20 anos e não tem uma boa reserva financeira, pelo menos para imprevistos… Não, não é nada agradável.

É por isso que trago para você esse desafio: mesmo diante das dificuldades em que estamos enfrentando, queria propor a você que se esforçasse um pouquinho mais para sair dessa estatística. Ok, ok… as estatísticas se referem aos estadunidenses, mas você acredita mesmo que os brasileiros fogem dela? Não existe nenhuma pesquisa que eu conheça nesse sentido, mas é bem provável que esse número seja bem pior: que grande parte da população brasileira não tenha R$ 1.000 guardados.

Então, o que vamos fazer ao longo desse ano? POUPAR dinheiro. De que forma? Bom, aí eu vou propor dois desafios para você, um tradicional e outro que criei pensando em uma regrinha básica das finanças pessoais. Vamos por partes.

Antes de tudo quero diferenciar dois conceitos: GUARDAR dinheiro e POUPAR dinheiro. Guardar significa que você está colocando aquele dinheiro em determinado lugar e, logo que precise, pode pegá-lo para atender seus desejos. Se fizer isso você NUCA vai ter reservas financeiras. Aí, então, entra o outro conceito que é o de POUPAR dinheiro. Poupar implica em QUATRO coisas fundamentais que você vai ter que pensar e ESCREVER para sempre se lembrar:

1) Propósito: poupar por poupar acaba sendo desestimulante ao longo do tempo. Você precisa definir um propósito FORTE para manter aquele dinheiro reservado. É um dinheiro destinado às férias? Ou um dinheiro destinado a criar uma reserva de emergência? Ou um dinheiro destinado a… você quem define. Coloque um fator emocional MUITO FORTE e escreva sobre isso em uma pequena carta endereçada a você mesmo, no futuro.

2) Onde você vai colocar esse dinheiro: para esse desafio especificamente, você pode colocar do dinheiro em um cofre em sua casa. Um porquinho, um cofrinho, não importa. Porém, saindo da temática dessa publicação, esse passo é fundamental quando pensamos em investir – mas não é nossa proposta nesse momento.

3) Disciplina: reservar dinheiro todo mundo consegue. E esse fator vai estar atrelado imediatamente ao primeiro: se você tiver um MOTIVO REALMENTE FORTE você vai se disciplinar e fazer acontecer.

4) Motivação com PNL: esse é um exercício muito poderoso, que quero que você faça ao definir o seu propósito. Faça o seguinte exercício mental: imagine uma situação MUITO RUIM em que, por você não ter poupado dinheiro, ela aconteceu. E por não ter aquele dinheiro para resolvê-la, ela está trazendo problemas muito ruins em sua vida. Imagine isso vividamente: imagens grandes, coloridas, próximas à você, bem nítidas. Viva esse momento como se estivesse acontecendo AGORA. Você sente até aflições físicas no seu corpo só de pensar nisso: talvez um aperto no coração, calafrios, vontade de chorar… calma, calma… Você já assistiu ao Rei Leão? Pois é… foi o primeiro filme que assisti no cinema. Bom, voltemos para o exercício. Eu quero AGORA que você pense em seu objetivo sendo realizado. O que você estará vendo, ouvindo, sentindo quando aquele dinheiro foi devidamente poupado? Pensa sobre como esse momento vai ser mágico em sua vida! É empolgante, não é? Coloque brilho nessa cena ou foto em sua mente; coloque cores; traz essas imagens para bem perto de você. Você consegue, não consegue? Tem alguma coisa agradável que você escuta nessa situação? Ou você falando alguma coisa para você mesmo ou alguém falando para você. Provoque boas sensações em seu corpo: um entusiasmo que faz seu coração pular de alegria, uma tranquilidade por ter aquela grana reservada, confiança de que está protegido para imprevistos e que pode fazer mais e melhor ainda. Viva isso. Ambas partes (a parte ‘negativa’ e a parte ‘positiva’) são importantes para influenciar e motivar a sua mente emocional a se disciplinar e a seguir firme com o desafio. Não sucumba. Você pode e você vai cumprir o que vou te propor a seguir (o Rei Leão ali em cima não tem nada a ver, eu só queria distrair sua atenção da cena ruim, ok!? E isso é importante: antes de fazer o exercício positivo, distraia sua mente com qualquer outra coisa nada a ver).

O primeiro desafio, muito comum nessa época do ano, é poupar a quantidade de dinheiro que corresponde ao número da semana corrente. Deixa explicar melhor. Os anos são divididos em 52/53 semanas, aproximadamente. Estamos na primeira semana útil do ano. Então, nessa semana, você reservaria, para cumprir esse desafio, apenas R$ 1,00 (UM real). Na semana que vem, a segunda semana do ano, você reservaria R$ 2,00. Na semana seguinte, R$ 3,00… acho que você já entendeu. Toda semana aumenta-se um real de poupança. Esse desafio especificamente é interessante por alguns motivos: primeiro, você começa a poupar pouco dinheiro no início do ano, uma época em que temos muitas contas para serem pagas; além disso, você vai começando a se habituar com uma prática que é extremamente necessária: o seu cérebro fica condicionado a reservar um dinheiro. Você dá atenção a esse assunto semanalmente e de pouquinho em pouquinho você vai vendo sua reserva crescer. Junto com essa poupança, coloco mais um desafio: VOCÊ SÓ PODERÁ GUARDAR ESSE DINHEIRO EM MOEDAS DE R$ 1,00. Você vai perceber muito em breve que é gostoso escutar o barulho do tilintar das moedas. Não se preocupe em fazer o dinheiro render em algum investimento. A proposta aqui é outra: é te HABITUAR a guardar dinheiro – esse hábito é MUITO mais importante que o ato de investir, pelo menos nesse momento.

Segue uma tabela que representa a evolução desse desafio ao longo de 52 semanas. Observe que interessante: mais para o final do ano (lá para dezembro) você estará poupando algo próximo de 50 reais POR SEMANA. Você já conseguiu fazer isso alguma vez? E outra coisa bacana é a seguinte: ao final desse desafio você terá mais de R$ 1300 guardados com esse pequeno e gradual esforço semanal. Bacana, né?!

Qual é o outro desafio, aquele alternativo? Muitas literaturas recomendam que as pessoas poupem, pelo menos, 10% de seus rendimentos mensais. Para mim, 10% ainda é pouco. Recomendo que tenha como alvo 20%. Mas independentemente de ser 10%, 15%, 20% ou qualquer outro percentual definido, muita gente poupa ABSOLUTAMENTE NADA.

Então comecemos pequeno. O que fazer? Poupar 1% a mais a cada mês. Suponhamos que uma pessoa receba um salário líquido de R$ 1.500. No primeiro mês, ela vai poupar… R$ 15,00 (que é 1% de R$ 1.500,00). No segundo mês ela vai poupar R$ 30,00 (2% de R$ 1.500); no terceiro mês R$ 45,00 (3% de R$ 1.500)… você entendeu! Esse desafio funciona de forma muito fácil para quem tem remuneração fixa, mas também pode ser realizado por quem tem remuneração variável (só vai precisar realizar um controle melhor das receitas do mês). Perceba que ao final do desafio você estará poupando 12% de sua renda. A regra mais básica não é poupar 10% do que se ganha? Pois é… cumprindo o desafio você bateu a meta e pode ir em direção aos 20% que sugeri.

Segue também uma tabela para que você veja o desempenho desse tipo de desafio:

Qualquer desafio, contudo, não funciona se você não se comprometer definitivamente a cumpri-lo. Se você resolver fazer o primeiro ou o segundo que apresentei, terá excelentes resultados. O segundo tem a variável que o seu salário pode ser menor que R$ 1.500,00 (ou maior!), mas ainda assim você terá poupado quase que um salário integral ao longo do ano e terá CONSTRUÍDO O HÁBITO DE POUPAR.

Se você quiser aumentar o valor de poupança por semana (desafio 1) ou por mês (desafio 2), você pode, mas faça as contas para avaliar se vai conseguir cumprir o desafio, já que esses ajustes mexem na proporcionalidade da poupança.

E só para você refletir: se você NUNCA guardou dinheiro, imagina, ao final de 2016, ter um dinheirinho, só seu, fruto de um hábito muito bem construído ao longo de um ano, um hábito que pode permanecer com você pelo resto de sua vida?!

Sair das estatísticas ruins que comentei no início dessa publicação já é muito bom! E melhor ainda é poder começar a ter segurança e tranquilidade financeira. A sua família e o seu futuro agradecem – MUITO!

Artigo escrito por Phllip Souza, sócio-diretor executivo da Criterion e autor do blog “O Mago das Finanças” que trata de diversos assuntos relacionados a comportamento financeiro, psicologia econômica, finanças pessoais e investimentos. Consultor associado da GestorFP em Belo Horizonte.